O quarto do Bebê


Hoje eu falarei de decoração do quarto do bebê.

Mulheres, você sabe, adora novidades, coisas diferentes e únicas para si, imagine para seu pimpolho! Têm pessoas que gostam de utilizar-se da mão de obra de um decorador, há outras que vão às lojas especilaizadas, compra tudo igual ao que está no mostruário e reproduz o quarto em sua casa, e há outras que gostam de colocar a “mão na massa” e fazer do seu jeito. Mesmo que, às vezes, o resultado não fique de acordo com os “padrões estéticos televisivos”, mas tem a cara da dona e é disso o que eu gosto!

Durante o período em que eu pensei na decoração do quarto do João Paulo, vi vários sites e a prima do meu marido (a Nalva)  mandou um que apresentava dicas incríveis de decoração. Então comecei a garimpar, a criar mentalmente a decoração, o tema, os apetrechos que teria  e que deixaria o cantinho do meu fofinho mais gostoso e aconchegante.

Aqui em Belo Horizonte há uma feira de artesanatos (que acontece aos domingos) que tem muitas coisas interessantes neste setor de decoração, com ótimos preços e de ótima qualidade, ou seja, tudo o que uma mãe precisa para ter um lindo quarto para o bebê, sem agredir muito o orçamento (porque ô fase para se gastar dinheiro!!!), e sentir-se realizada e feliz. Compramos os protetores de berço, o cabideiro, as prateleiras e o porta-maternidade,  tudo com o mesmo tema escolhido, ou seja, brincadeiras de menino.

Já as esculturas em madeira(MDF) e os pingentes de cortina, compramos na Feira do Bebê (que acontece em determinados períodos do ano aqui em Belô). Como as molduras são vazadas, resolvi preencher algumas partes com papel “Craft” colorido, o que deu um visual diferente e único ao quarto do João Paulo. Peguei um puff retangular que eu tinha, fiz uma capa xadrez para ele e, para completar a decoração, coloquei um  rolo com o mesmo tecido em cima dele para formar um sofazinho ( veja  o resultado). No espelho do guarda-roupa, comprei uns adesivos de silicone( em um supermercado próximo à minha casa), custou R$ 5,60 cada Kit (uma pechincha!!!), e o melhor, tinha os mesmos motivos do quarto do João Paulo. Aproveitei e  comprei outros para colocar no banheiro, que o meu filho usa para tomar banho ( para dar um toque infantil no banheiro que era o social) . E para completar, comprei a poltrona de amamentação. Tentei fazer uma decoração bem suave e original.

Tudo isso foi feito por mim e pelo meu marido. Planejamos tudo e fizemos a colagem das peças sozinhos, sem ajuda de decorador, pois participar desse momento foi muito gostoso, porque filmamos, fotografamos e deixamos registrado   para o João Paulo ver que tudo foi pensado e feito com muito carinho pelos seus pais.

Acredito que o resultado tenha ficado bom.

Olha só o que eu encontrei na “rede”, visitando os blogs que registravam sobre o tema “Quarto de bebê”, é cada coisa mais delicada e maravilhosa que a outra!

 pingente para berço www.lilabranca.com.br

P08-09-09_21.44  kit higiene www.flickr.com/photos/nalvacaires

TrânsitoaFloridoadesivos criativos (www.grudado.com.br/)

Três irmãosMenino surfista porta maternidade www.atelierra.com.br

Namoradeira infantilnamoradeira infantil (www.atelierra.com.br)

Anúncios

Dicas literárias


 
 

Quando eu engravidei, algumas pessoas falaram de vários títulos de livros que registravam informações sobre gravidez e filhos. Segundo elas, seria muito bom que eu lesse, pois assim eu teria contato com esse universo e saciaria a minha ansiedade em saber sobre cada etapa pela qual eu estava passando. 
Há muitos livros sobre puericultura, alguns são cansativos, mas eu consegui uma ótima seleção, principalmente aqueles em forma de manual, que são fáceis de ler e práticos ( A bíblia da gravidez, A bíblia do bebê, o primeiro ano do seu bebê), pois na hora de um aperto você corre e faz aquela consulta rápida.

Um desses livros selecionados ( 50 maneiras de criar um filho sem frescuras) eu ganhei de uma colega de trabalho do meu marido e eu adorei, pois trazia dicas de como criar os filhos, apesar do Jud não seguir muito bem essas dicas.
 
 
 
 
 
 
  

Ler é muito bom e fazer com que o seu filho tenha contato com os livros desde cedo é melhor ainda. Antes do João Paulo nascer, eu comprei alguns livros , aqueles com dedoches, e no aniversário de 1 ano ele ganhou um outro ( e é um dos que ele mais gosta), O Ursinho Peludo, (veja o João Paulo lendo o livro).

 Antes da soneca da manhã, eu conto várias historinhas para o meu filho e ele fica mais calmo, mais sonolento e tem um sono mais tranquilo.
Como o João Paulo gosta desse momento, também gostaria de oferecer algumas dicas literárias:

 
Animais na fazenda
 
O Ursinho Peludo
 
 
 

Patinho, você grasna demais!
 

 

 

Pappuzando sobre vacinas


No primeiro mês que o João Paulo nasceu, fomos informados que teríamos um longo período de idas e vindas aos postos de vacinação. Pois, o nosso filho teria que tomar diversas doses de vacinas para ficar bem imunizado contra as doenças que podem acometer as crianças durante a fase de seu desenvolvimento .
O que nao sabíamos é que algumas era tão caras como as combinadas( a Tetra e a Meningocócica). Mas, quando fomos tomar a 2ª dose da vacina,  o governo de Minas Gerais já tinha conseguido que essas vacinas fossem gratuitas nos postos de saúde(ainda bem porque são várias doses e o custo ficaria muito alto).

 

Sabemos que a vacina é muito importante para erradicar ou evitar que determinadas doenças se espalhem por uma determinada região. É através dela, que oferece-se imunização, protege-se crianças, adultos e idosos contra diversas doenças causadas por vírus e bactérias.

 

Mas por que a vacina é tão eficaz e indispensável para uma vida saudável de um bebê, por exemplo? Muito simples. A vacina é feita com os próprios microrganismos que causam as doenças, porém sem capacidade de ataque. Com isso, o indivíduo passa a ter anticorpos já conhecidos das enfermidades, facilitando na luta contra a doença.
A vacina dificulta o desenvolvimento da moléstia, pois forma anticorpos contra ela, mesmo se entrar em contato com o agente “forte” da doença.
Portanto, imunizar seu filho é mais que um ponto de preocupação com o bem-estar do filhote. É uma forma de demonstrar amor e proteção. Só dessa forma ele estará resguardado contra doenças que nem sempre têm cura.
Calendário de Vacinas Combinadas

 

 
Baseado no calendário da Sociedade Brasileira de Imunizações – 2007

 

Idade     

Vacina     

Dose     

Ao nascer     

 BCG    

Dose única
   Hepatite B    

Dose única
2 meses     

 Vacina Hexavalente (*)    

1ª dose
   Antipneumocócica Conjugada Heptavalente (*)    

1ª dose
   VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano)    

1ª dose
3 meses     

 Antimeningocócica C Conjugada (*)    

1ª dose
4 meses     

 Vacina Pentavalente    

1ª dose
   Antipeumocócica Conjugada Heptavalente    

2ª dose
   VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano)    

2ª dose
5 meses     

 Antimeningocócica C Conjugada    

2ª dose
6 meses     

 Vacina Hexavalente (*)    

2ª dose
   Antipneumocócica Conjugada Heptavalente (*)    

3ª dose
   Influenza    

1ª dose
7 meses     

 Antimeningocócica C Conjugada    

3ª dose (se precisar)
   Influenza    

2ª dose
9 meses     

 Febre Amarela    

Dose única
12 meses     

 Hepatite A (*)    

1ª dose
   SRC (Tríplice Viral)    

Dose única
   Varicela (*)    

1ª dose
15 meses     

 Vacina Pentavalente (*)    

2ª dose
   Antipneumocócica Conjugada Heptavalente    

Reforço
18 meses     

 Hepatite A (*)    

2ª dose
   Influenza    

anual
4 a 6 anos     

 Vacina Pentavalente (*)    

3ª dose
   SRC (Tríplice Viral)    

2ª dose

 

(*) Não disponível na rede pública de Minas Gerais

 

O que dar de comer para seu filho?


João Paulo tomando suco

Quando o filho nasce, ficamos ansiosas para saber se o seu  leite é suficiente para amamentá-lo, se o filho pegará os seios, se o leite sustentá-lo-ó e outras dúvidas que assolam o universo materno… Com o passar do tempo, com as orientações (ou opiniões?),experiências tudo é superado e outras indagações vão surgindo de acordo com o desenvolvimento de seu bebê.
O que dar de comer para seu filho?
Já amamentamos o nosso filho há algum tempo e já conhecemos um pouco mais sobre essa rotina alimentar…
O seu bebê já entrou na rotina de beber leite quatro vezes ao dia. Está pronto para introduzir um leite infantil? Fale primeiro com o seu médico de família ou pediatra. Pode habituar gradualmente o seu bebê a uma nova forma de leite, continuando a alimentá-lo nos mesmos intervalos.
Mas o recomendado é que continuemos amamentá-lo até mais ou menos 2 anos( segundo a nova linha da pediatria). O meu filho amamentou até oito meses, pois ele se recusava a pegar os seios. Eu queria amamentá-lo até aos 18 meses, então dava o peito nas madrugadas, pois dormindo, ele não sabia onde estava se alimentando, mas essa estratégia durou pouco tempo. Porque logo ele começou a berrar mais alto exigindo sua preciosa mamadeira, pois é, não existem crianças como antigamente… Veja o caso do meu irmão que chegou a mamar até os sete anos (claro que isso foi demais!!).
1ª etapa( 5 meses)

João Paulo comendo papinha de mamão

Alguns pediatras falam que a criança já está na hora de experimentar alguns sabores simples e novos… Como diferentes tipos de alimentos em purê (legumes simples, como alface e cenoura, frutas como a maçã e a pêra) e até mesmo a papinha de cereais sem glúten. Pois, o seu bebê já consegue engolir algo mais substancial do que apenas leite. O sistema digestivo já se desenvolveu, o estômago está cada vez maior e o organismo é menos frágil.
2ª etapa (6 meses)
Pouco e pouco, o bebê vai caminhando na direção de uma estrutura de refeições mais parecidas com a dos adultos: 4 a 5 refeições por dia, perfeitamente distintas entre si: Pequeno-almoço, no meio da Manhã, Almoço, no meio da tarde e jantar. É hora de introduzir a primeira carne na primeira refeição principal do dia do bebê. Inicie com 10 a 15g de carne de aves, como frango e peru passando depois para o músculo, podendo aumentar para cerca de 25g no primeiro ano de idade. Também é o momento de introduzir no menu a papa de cereais com glúten ( se a criança não for alérgica). Poderá optar por na segunda refeição principal do dia, o jantar, dar purês de legumes ou papa de cereais

3ª etapa(8 meses)
O seu bebê quer experimentar uma maior variedade de sabores? Então é porque ele está a desenvolver-se e a caminhar na direção certa – tanto física como nutricionalmente! Agora que os grupos alimentares com carne e cereais com glúten foram introduzidos na dieta, a Etapa 2 já foi estabelecida, está na altura de acrescentar alguns sabores novos. É nesta etapa que irá introduzir o peixe (25g/dia) numa das refeições, mantendo a mesma quantidade de carne na outra refeição. Escolha as variedades magras como a pescada e o linguado.
O seu bebê está pronto para mais. A pouco e pouco, o bebê vai-se tornando apto a receber uma alimentação progressivamente mais próxima da chamada dieta familiar e a sua participação nas refeições é cada vez maior. Mais sabores, mais variedade, mais receitas! As refeições com pedacinhos estão adaptadas, uma vez que se torna necessário diversificar a alimentação para corresponder às crescentes necessidades nutricionais dos bebês. Os alimentos em pequenos pedacinhos ajudam na aprendizagem da mastigação. È hora também de experimentar novas frutas, novas leguminosas como as lentilhas, vegetais crus, salada e até mesmo o ovo.